segunda-feira, 23 de março de 2009

Verona - I Parte



















A fictícia história de Romeu e Julieta tem um cenário real, Verona. A cidade é uma das mais antigas e belas cidades da Itália capaz de conquistar qualquer turista que esteja disposto a permanecer por dois dias no local. Situada no Veneto, com mais de 270 mil habitantes, é a segunda maior da região, sendo Veneza a primeira. Mas quem pensa que esta última pode tirar o brilho da primeira, corre o risco de não conhecer a cidade que inspirou o famoso romance de William Shakespeare.
Verona tem uma beleza inconfundível, rica de beleza natural e com importantes monumentos representativos datados do período romano. E são justamente o Anfiteatro e o Teatro Romano duas das atrações veronês que despertam maiores paixões nos turistas. Os dois são reconhecidos internacionalmente com os Espetáculos Líricos na Arena (como é conhecido o Anfiteatro) e os Festivais Shakespearianos, respectivamente.

Arena - Com grandes dimensões, somente é ultrapassada pelo Coliseu. A fachada, com suas pedras vermelhas, inspirou toda a arquitetura veronesa durante o Renascentismo e demais séculos. Porém, é preciso ir ao interior do local para sentir a força e grandiosidade que se possa imaginar. Inicialmente construída para as lutas de gladiadores e às caçadas, hoje é um dos maiores palcos do mundo para as apresentações líricas. Dependendo do calendário dos eventos, é possível assistir e se emocionar com uma ópera de Verdi. Toda a cenografia, orquestra, segurança etc faz acreditar que é um filme. Mas basta os primeiros acordes para se ter certeza que está diante de um dos mais belos espetáculos produzidos pelo homem. E quem acha que é caro, o ingresso mais simples custa 25 euros. Mais informações no site http://www.arena.it/. Durante o dia, o espaço é aberto a visitações. Fique atento. Na bilheteria tem a opção de comprar o ingresso para conhecer somente a Arena ou o cartão VeronaCard. Este último oferece grandes vantagens. É vendido em duas versões, de 8 e 12 euros. O primeiro permite entrar nos mais importantes pontos turísticos da cidade por um dia. Tem direito a Arena, Torre dei Lamberti, Casa e Tomba di Giulietta, Teatro Romano, Museo Lapidario, Museu di Castelvecchio, Museo di Storia Naturale, Museo della Radio d'Epoca, Duomo e as Igrejas di S. Zeno, S. Lorenzo e S. Anastasia. A secunda opção oferece três dias consecutivos de visitas aos pontos turísticos mais alguns em Lago di Garda. Foto do site oficial.

Teatro Romano - Construído na segunda metade do século I a.C, de frente para o rio Ádige, está posicionado numa parte que permite ver boa parte da cidade. Na parte oriental tem a Igreja dos Santos Siro e Libera, do século X. Acima do Teatro está o Museu Arqueológico pelo qual se tem acesso por um elevador. Alí estão expostas importantes artefatos da era Verona romana. Importantes mosaicos, estátuas, cerâmicas gregas e italiotas, esculturas com cenas de vida familiar etc. Tudo catalogado e com informações em 5 línguas. Um ótimo local para deixar a hora passar. Foto retirada deste site. Atrás do Teatro tem um lugar que, por si, vale a pena conhecer Verona. Uma dica é deixá-lo por último, no final da tarde, e assistir ao por-do-sol. Para chegar lá é preciso sair do Teatro e, à direita, subir uma via íngrime e estreita. Ideal para descansar, beber da água refrescante de uma das tantas fontes e fazer uma terapia diante do espetáculo que surge diante dos olhos.

Jardim Giusti - Um dos mais belos jardins renascentistas da Itália (1580). Pertence ao Palazzo Giusti e dividi-se em duas partes: o inferior tem desenhos geométricos em seus canteiros, labirinto, fontes, estátuas que se opõe ao superior, que é mais natural, com uma grande avenida de ciprestes e uma escada interna em caracol.


Torre dei Lamberti - Quer emoção, adrenalina e por à prova sua resistência física? Suba os 368 degraus da construção. Tem um elevador mas não há garantia de estará funcionando. Garantia mesmo é da visão panorâmica da cidade. Que tal? Depois, na hora da retornar, basta se refrescar tomando um gelato na Piazza dell Erbe que fica proxima ã Torre.






Casa di Giulietta - Uma palacete simples e com poucos móveis. Na entrada tem a estátua de bronze da estrela de Shakesper. Diz a lenda que quem coloca a mão sobre o seio da "ragazza" terá sorte no amor. A pergunta que não quer calar: se nem ela teve sorte, quem pode garantir? O local também chama atenção por um dos grandes desrespeito a um patrimônio cultural italiano. Na entrada da casa as paredes estão pintadas, escritas, rabiscadas com nomes de casais que por alí passaram. Prova de amor? Não. Ignorância. Independente da história do escritor inglês, o local é um patrimônio histórico, do século XIII. Um verdadeiro absurdo!


Castelvecchio - Imperdível! Construído para fins de defesa externa e interna do poderoso Casagrande II, em 1354, hoje é um dos museus que tem uma grande variedade de objetos medievais. Obras de arte sacras, armas e estátuas estão dispostas nas 26 salas do castelo. O pátio das armas é outro espaço belo com fonte de água potável. As muralhas ... Ah, as muralhas! Permitem vista para a Ponte Scaligero e o Ádige. Em determinados pontos é possível entender estratégias de guerra e defesa do castelo.

Bem, Verona tem muito mais. Para não ficar cansativo deixo esta primeira parte. Continuarei em outro post.
Gostaram?

PS: As fotos não assinaladas fazem parte do arquivo pessoal.

Um comentário:

egitoebrasil disse...

maravilhosa esta cidade!