segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Ahinnnnn

Estava eu, linda, inteligente e magra (hoho), preparando um post sobre "o discurso" (área da comunicação que muito me atrai), e entrando na questão comparação BrasilxItália, quando me deparo com um post sobre pessoas que sabem aproveitar bem a vida sem se apegar a "isso é melhor que aquilo". Simplesmente perdi o interesse, por enquanto, de usar o meu conhecimento de sociologia, antropologia, comunicação e politica social para escrever sobre o eterno debate do "aqui é assim e lá assado ou este é melhor que aquele". Até porque, no post que li sobre aquelas pessoas bacanas, eles estavam mais interessados em brindar à vida, ao amor e à felicidade sem se importar se o vinho era italiano, chileno ou argentino. Para eles, bastava que fosse realmente bom para o paladar apurado deles (e que se dane o mundo que pense o contrário). No final, uma declaração de amor à esposa aniversariante. Aqui entra o meu momento brega, romântico (ok, já dei a cara à tapa antes ao assumir este meu lado) e completamente "ahinnnnnn".
Sendo redundante ao post anterior, o que importa é ser feliz.
E toca a vida!

Um comentário:

Tânia disse...

sim, de facto, no fim de contas, o que conta mesmo é ser feliz!