sexta-feira, 3 de junho de 2011

Coisas da vida

Aos 18 anos eu imaginava que, quando chegasse aos 35 anos, seria uma famosa arquiteta com casas publicadas nas revistas Arquitetura&Construção e A&D, falaria 4 idiomas, teria uma bela casa de dois andares com as paredes externas cobertas por trepadeiras, um belo carro, estaria casada com o amor da minha vida, teríamos um cachorro, dois filhos (dos 12 imaginados), teria conhecido as principais capitais européias, Paris-Firenze-NY seriam os meus destinos de feriados prolongados, as férias seriam viajando pelo mundo, ainda faria academia todos os dias, curso de canto e fotografia. Ah sim, isso tudo num corpitcho de manequim 42, cabelos longos como comercial de shampoo e sorriso Colgate!

Agora, se alguém me dissesse que aos 34 anos eu teria feito uma universidade de jornalismo, entre as disciplinas haveria o curso de fotografia, além de uma pós em assessoria de imprensa, atuaria na área, conheceria pessoas incríveis que abririam as portas culturais para o mundo musical e cinema, me realizaria profissionalmente e jogaria tudo para o alto para ver o mundo com meus olhos, iria morar na Itália (a 20min de Veneza), aprenderia italiano, abriria ainda mais meus horizontes para a cultura, conheceria lugares incríveis, comerias as delicias que os homens são capazes de produzir na cozinha, beberia vinhos maravilhosos, fotografaria com a retina momentos que uma maquina fotográfica não tem a capacidade de registrar, seria baby siter e ainda quando voltasse de bicicleta para casa ficaria toda molhada de chuva e mesmo assim amaria tudo isso, eu sinceramente não acreditaria nesta pessoa.

Porque é quase impossível fazer alguém acreditar que sou feliz vivendo com simplicidade e ao mesmo tempo com uma riqueza tão grande a minha volta. A chuva de hoje me fez sentir mais uma vez realizada. Definitivamente eu não estava dentro de um carro, em pleno congestionamento por causa da chuva, olhando para o relógio que me dizia que estava atrasada com a reunião de um cliente chato. Será que alguém mais neste mundo consegue ver beleza e realização nisso tudo como eu vejo? Ou os meus olhos são adestrados somente para ver o positivo? Pode ser que, como já disse outra vez, uso óculos com flores. É bom viver a realidade do sonho.

Ciao a tutti!

Um comentário:

Aline Tessesine disse...

Que palavras lindas...penso assim tb.
Prefiro viver a vida com alguma simplicidade mas poder parar e sentir o cheiro de uma flor, olhar a paisagem linda que Deus nos proporciona...isso não tem preço!

Baci!