sábado, 4 de abril de 2009

Porque é bom ter você como irmão!

Minha mãe conta que ele não me queria. Na verdade, ele não queria uma menina porque não seria seu companheiro para jogar bola. Com uma semana eu o conquistei. Ele não resistiu àquela coisinha branca que piscava os olhos pra vê-lo e esticava as mãozinhas para agarrá-lo. E assim eu fiquei. Nas minhas primeiras palavras seu nome era quase grego e, assim, o que pronunciei ficou sendo até hoje.

Ele era o mais bonito entre os meninos e todas a minha amiguinhas queriam namorá-lo. A marca que tenho na testa é o que sobrou da nossa brincadeira de Davi e Golias. Não sei porque mas ele, que era maior, foi o Davi. Nós éramos como cão e gato. Quando nossos pais precisavam nos deixar sozinhos em casa, quase nos suplicavam para não brigarmos. Ele me chamava de gorda mal sabendo que, um dia, o feitiço ia virar contra o feiticeiro. E a bela da história seria eu .. rs.

Todo o talento para a música que havia no ventre materno foi levado por ele que nasceu primeiro. Aprendeu a tocar violão com 8 anos. Dedilhava como poucos. Anos depois, aprendeu a tocar bateria e já era um ótima guitarrista. Contra-baixo e teclado não o faziam medo. E foi com ele que aprendi ouvir o instrumental de uma música. Ele era o inteligente, eu a esforçada. As professoras não entendiam como aquele menino conversava tanto na sala de aula e ainda sabia todas as respostas. Não me lembro de tê-lo visto estudando em toda a vida. Também amava uma "pelada". Sumia de casa, quase matava minha mãe de preocupação, só para jogar com os amigos. E fazia questão de não avisar onde era o campinho para não ser retirado na marra pelos nossos pais.

Depois nos descobrimos e tornamos grandes amigos. Andávamos de mãos dadas. Alguns pensavam que éramos namorados. E ele continuava lindo. Divertido, sempre com uma tirada para fazer alguém rir. Quando tinha que fazer alguma viagem rápida do trabalho, me ligava dizendo que ia me pegar para ir com ele. Era o único que me deixava colocar os pés nos vidros dianteiro do carro. Nesta época, aprendi com ele a admirar a beleza de uma mulher. Todas que ele achava bonita, principalmente as loiras, fazia questão de me mostrar e fazer comentários. Semanas antes de casar, me disse que o seu desejo era casar com uma mulher como eu. Com as mesmas qualidades e características que ele tanto admirava. Até hoje foi a mais bela declaração de amor que ouvi.

Ele é teimoso mas reconhece que tenho razão. Ao contrário de mim, sempre conseguiu as coisas com nossos pais sem precisar brigar. É o queridinho da mamãe. No período mais difícil que passou, eu tive raiva dele. Ele não sabe, mas o que ele diz tem grande importância para mim. Não suporta ver um ex-namorado meu pelo mal que me fez. Não acredita em mim atrás do volante mas tem o maior orgulho das minhas conquistas. Ele sabe que pode contar comigo, e eu com ele. Pode morrer de raiva, mas faz o que eu peço. Ele é flamenguista. Não conheço alguém que não o ache o maior barato. Têm o dom de fazer amizade e conquistar as pessoas. E se quero ter muitos filhos é porque quero que estes tenham a oportunidade de viver o que vivi com ele e saber como é bom ter irmão.

E hoje, ele, o Edi, meu irmão, faz aniversário. É o primeiro em que estaremos longe mas meus pensamentos são todos para ele. São 36 anos conosco e, dos quais, eu tenho muito orgulho. Parabéns pela pessoa que você é. Te amo.


PS.: inspirado num post similar ao da Ticcia.

2 comentários:

Annah disse...

Ain quase chorei :/
Lembrei do meu primo Rodrigo, temos a mesma diferença de idade que vc e seu irmão.
Minha tia deu ele pra minha mãe criar quatro anos antes de eu nascer.
Vivi tudo tão parecidinho com vcs, só que nunca brigavamos, quando a mãe repreendia ela eu chorava junto, e ele fazia a mim o mesmo.
A dois anos ele resolveu seguir carreira de modelo,pra inveja das minhas amigas hehehe e foi viver a vida dele. A distância nos afastou um bocado, mas sei que tenho ele e ele me tem, e sempre que tô triste eu ligo e ele me alegra.
Como é bom ter irmão.

Juliana disse...

Olá, Claudia. Sou repórter do G1, portal de notícias da Globo, e estou procurando brasileiros que moram na região afetada pelo terremoto ou próxima dela. É o seu caso? Você teria alguém para indicar? Se puder ajudar, por favor me mande um e-mail: jcarpanez @ corp.globo.com
Obrigada!